Thursday, March 23, 2006

Desvantagens e vantagens da engenharia genética

Desvantagens:
Riscos para a saúde.
Os cientistas já introduziram genes de bactérias, escorpião água-viva em alimentos cultiváveis.
Os testes de segurança sobre estes novos alimentos contendo genes estrangeiros e as regulamentações para a sua introdução - até agora têm sido extremamente inadequados.

Os riscos são muito reais: Alguns exemplos:
Os alimentos oriundos de cultivos transgénicos poderiam prejudicar seriamente o tratamento de algumas doenças de homens e animais. Isto ocorre porque muito cultivos possuem genes de resistência antibiótica.
Os alimentos transgénicos poderiam aumentar as alergias. Muitas pessoas são alérgicas a determinados alimentos em virtude das proteínas que elas produzem. Há evidências de que os cultivos transgénicos podem proporcionar um potencial aumento de alergias em relação a cultivos convencionais.

Vantagens:
A tecnologia da engenharia genética.
Todas as células vivas são controladas pelas suas características genéticas, que são transmitidas de uma geração a outra. Essas instruções genicas são dadas por um sistema de códigos baseados numa substancie chamada DNA (ácido desoxirribonucleico) que contem mensagens intrínsecas á sua estrutura química.
A engenharia genética, de uma maneira geral, envolve a manipulação dos genes e a consequente criação de inúmeras combinações entre genes de organismos diferentes. As primeiras experiências envolveram a manipulação do material genético em animais e plantas com a transferência dos mesmos para microrganismos tais como leveduras e bactérias que crescem facilmente em grandes quantidades. Produtos que primariamente eram obtidos em pequenas quantidades originados a partir de animais e plantas, hoje podem ser produzidos em grande escala através desses organismos recombinantes.

Europa a favor da rotulagem.

O peso dos países Europeus, que defenderam uma rotulagem que identifique claramente os produtos geneticamente modificados, impedindo que não foi suficiente para levar a bom termo o encontro de Cartagena, onde foram tentados quatro textos para o protocologo. Os seis maiores produtores de biotecnologia, nos EStados Unidos, Canadá, Austráliae Argentina, impediram o consenso.
Os restantes destes países, muitos deles ligados a indústria , afirmam que as negociações se contcentraram demasiado no comércio e muito pouco na ciência.

Transgénicos em todo o lado.

há uma enorme variedade de organismos geneticamente alterados que podem chegar ao nosso prato, aos medicamentos que tomamos ou até a roupa que vestimos: podem estar presentes no milho das pipocas ou no tomate do " ketchup", no algodão das calças de ganga, na madeira de que são feitos os guardanapos, nos extractos vegetais dos refrigerantes. Mas o milho, a sopa, as batatas e o algodão são os principais produtos geneticamente manipulados já existentes no mercado.
Só que, como todos estes produtos resultam de uma tecnologia muito recente, há muitas dúvidas sobre a sua segurança biologica. Os industrais garantem a pés juntos que os produtos cujo património genético foi alterado são seguros e que, além disso, a sua disseminação é essencialmente para conseguir maiopres colheitas, que permiteam alimentar a população mundial.
Mas os ecologistas e muitos oputros paises, a Europa e o Terceiro mundo lado a lado, receiamk os seus riscos potenciais. E não se julgue que o assunto é pacifico entre a comunidade cientifica: 198 especialistas em antibióticos de 25 países, ouvidos numa sondagem realizada pela Sociedade Internacional de Quimioterapiam manifesta-se muito preocupados com a presença de genes resistentes a antibióticos em alimentos geneticamente modificados.

Monday, March 20, 2006

Em portugal.

Os alimentos geneticamente modificados são obrigatoriamente rotulados?

Este aspecto rege-se pela lei da União Europeia, mas é regulamentado a nível nacional.
Em Portugal, as plantas e produtos alimentares geneticamente modificados que contenham ou tenham sido produzidos a partir de plantas geneticamente modificadas são obrigatoriamente rotulados em conformidade com as directivas da UE. Não existe regulamentação específica adicional relativamente à rotulagem de alimentos geneticamente modificados em Portugal.

A ética legal é considerada?
Este aspecto rege-se pela lei da União Europeia mas é parcialmente regulamentado a nível nacional.
Para além da necessidade de avaliar os riscos para a saúde e para o ambiente, a lei portuguesa não inclui referências específicas aos aspectos éticos.

Saturday, March 18, 2006

Vírus da sida ataca linfócitos em repouso.

O HIV, um dos tipos de vírus da sida, infecta e replica se não apenas em células do sistema imunitário que estão a dividir se, mas também naquelas que se encomtram inactivas, revela um artigo pulicado hoke na revista "Science". Esta descoberta mostra que existe um população resistente de células infectadas que a´lojam o vírus e que resistam ás tarapias antivirais e aos ataques do próprio sistema imunitário, ao mesmo tempo que as suas companheiras que já foram activadas lutam contra ele.
Os cientistas pensavam que o vírus da imunodeficiência humana se replicava somente nos linfócitos T, o principal alvo do HIV, entre as células do sistema imunitário, que já estivessem a dividr-se para lutar contra a infecção. esta activação acontece quando um linfócito T encontra uma molécula que assinala um perigo potencial.

Friday, March 10, 2006

Tratamento do cancro testado em humanos.

A experiência que podera dar lugar a um tratamento alternativo á cirugia, á quimioterapia e á radddioterapia em detarminados tipos de cancro, envolve a estimulação do sistema imunológico dos doentes.
partindo do estudo do cancro do estómago, uma equipa que reúne cientistas de Copenhaga, Londres, Nova Iorque e Porto dedicou se á possibilidade de levar o sistema imunológico dos pacientes a criar anticorpos contra as células tumorais. Para tal. desenvolveram em laboratório uma molécula da menbrana celular que, nas celulas saudaveis, tem mais glicose do que nas células tumorais. Criando in vitro uma molécula semelhante á do cancro, aplicaram na a ratos trangênicos que não retassem um produto humano e obti9veram já desenvolveram anticorpos e, portanto, responta imunologica á proteina alterada, sem atacar as moléculas saudáveis.




Tratamento do cancro .

A terapia com anticorpos dirigida ao HR2 permite uma sobrevivencia de dois ou três anos e pode ajudar a travar o desenvolvimento de metástases longe da mama, como acontece em 30% dos doentes. O problema é que á um tratamento extremamente caro, exigindo, por isso~, a correcta despistagem dos casos.
Em ~Portugal, o diagnóstico dos doentes a quem o tratamento pode ser aplicada é feito no instituto Português de Oncologia de lisboa e consiste num processo por fluorescència que detecta a amplificação do gene. Um processo totalmente eficaz e que não permite falsos positivos, em quem a terapia não faz efeito e pode gerar complicados efeitos secundários.




JN

Wednesday, March 08, 2006

Segurança é a principal dúvida da sociedade

Embora a engenharia genética cause uma grande variedade de problemas para o meio ambiente e para a saúde, os testes para provar a sua segurança são muito superficiais.
Várias Experiências foram conduzidas para testar a segurança ambiental de curta duração e em pequena escala. Estes porém, duram mais do que uma estação, enquanto que os danos ambientais podem levar anos para tornarem-se aparentes. Deste modo, os testes não mostram as consequências que puderam acontecer quando estes organismos forem introduzidos na natureza por não reproduzem as condições reais, as condições que as plantas terão quando forem cultivadas uma vez introduzidas no ambiente.
Assim, as medidas que tentam garantir as seguranças dos alimentos transgénicos são tão fracas quanto as que tratam os riscos ambientais. no entanto as autoridades que regulamentam este tipo de produtos nos EUA, como o Departamento de Agricultura e a FDA, continuiam a aprovar o uso e a distribuição de produtos transgênicos. Na maioria dos casos, as decisões foram baseadas nas evidências apresentadas pelas próprias empresas. No Brasil, a CTN-Bio, orgaos do governo que avaliana segurança dos alimentos geneticamente modificados, adaptou o mesmo procedimento para dar o parecer positivo, em setembro de 1998, para variedade de soja Monsanto. Na Uniáo Europeia, há critérios mais rigoroso. Em função da pressão dos consumidores, a autorização para a plantação e comercialização para novos organismos trnsgênicos está suspensa até que a segurança para o meio ambiente e a ´saúde humana.
Felizmente estamoss testeminhando uma experiéncia global com a natureza e a evoluçao, cujos resultados são impossiveis de se prever. Testes inadequados e meios de controle regulatórios superficiais, que potencializam os efeitos danosos dos cultivos e alimentos transgênicos, talvez só sejam descobertos quanto for tade demais.

Friday, March 03, 2006

Trangénicos são vendidos deliberadamente e sem identificação.

O Reino Unido é um país muito “soft” em relação à comercialização de transgénicos. Estima-se que aproximadamente 60% dos alimentos processados ditos normais já foram alvo de alteração genética. No entanto como a maioria destes produtos não são rotulados devidamente, a ignorância da sua presença é o principal inimigo dos seus opositores. No Canadá e nos USA não existe qualquer tipo de rotulagem deste tipo de produtos. Em grande parte do mundo os governos desconhecem se o milho ou a soja que eles importam dos USA são transgénicos ou não.

Sunday, February 26, 2006

Perssão contra trangênicos

Até ao momento, ha uma grande oposição á contaminação genética dos alimentos. São consumidores, distribuidores e produtos de alçimentos que exigem comida " de verdade", sem ingredientes transgênicos, Apesar da preocupação, a introdução descontrolada de transgênicos copntinua a crescer em niveis alarmantes. A menos que a oposição se sustente e ganhe força nos próximos anos, um aumento drástico destes alimentos pode ocorrer, e a opção de evita-los pooderá ficar cada vez mais dificil.